Seguidores

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

A DIFERENÇA ENTRE O REAL E O VERDADEIRO

Muitas pessoas (talvez a grande maioria delas) pensa que algo real é verdadeiro. Usando um pouco a lógica se percebe facilmente a diferença. Inicialmente, se falarmos em "papai Noel", seus gnomos e seu trenô puxado por renas voadoras...não haverá ninguém (em são juízo) que afirme isto como real, e sim como o que é: IMAGINÁRIO.
Já uma nota de 100 dólares feita fora do Federal Bank nos EUA será tão falsa como uma de 100 reais feita na Antártida! Embora ambas possam ser vistas, tocadas, ambas sejam reais, não passasm de burdas falsificações, isto é não são verdadeiras!
Assim, quando se trata de experiências, especialmente religiosas, muitos caem no erro de crer nelas só porque são reais (não imaginárias). Todavia, precisamos aplicar aqui também o exercício que acabamos de fazer: algo pode ser imaginário ou pode ser real, mas aqui neste ponto ainda se faz necessário passar por um outro teste: o da autenticidade - é verdadeiro?.
Em questões religiosas, não se deve colocar experiências pessoais acima da Palavra de Deus...
Do contrário, espíritas, membros da seicho-no-ie, pentecostais, carismáticos, católicos, etc., etc., podem exigir ser ouvidos porque (acredite) todos eles têm EXPERIÊNCIAS REAIS para contar...Sendo honestos, precisamos reconhecer (mesmo) que, por exemplo, as pessoas que vão aos templos carismáticos ou as que participam em reuniões espíritas têm EXPERIÊNCIAS REAIS...
PORÉM, note bem aqui: REAL NÃO QUER DIZER VERDADEIRO! - nos terreiros há experiências reais (as manifestações lá não são imaginárias) e mesmo sendo reais, NÃO SÃO DA VERDADE - pois todas essas manifestações provêm do pai da mentira!!!
"Eu tive/tenho uma experiência" JAMAIS deve ou pode ser igualado a
"ASSIM ESTÁ ESCRITO"
Essa é a diferença entre o real (aquilo que acontece, não é imaginário)
e A VERDADE (da Palavra de Deus)

Nenhum comentário:

Postar um comentário