Seguidores

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Você crê na Bíblia...certo?


Este artigo é sobre uma frase que todas as igrejas têm como uma declaração doutrinária:

“Cremos que as Sagradas Escrituras do Antigo e Novo Testamento são a Palavra de Deus e nossa única regra de fé e prática”

MAS na atual situação em que estamos, onde o povo conta com as mais variadas (PER)versões bíblicas...quem há que possa afirmar “esta é a Palavra de Deus”..???

Pois casa livro intitulado “bíblia” difere grosseiramente do outro!!!
Transcrevo um artigo que recebi por e-mail há já algum tempo:

Deixe de Mentir, Dizendo Crer na Bíblia!

Por que tantos cristãos, hoje em dia, continuam mentindo em relação ao fato de crerem ou não na Bíblia? Realmente, a maioria está ficando mais honesta em suas crenças, já admitindo não crer que “a Bíblia é a inerrante Palavra de Deus”.

Vejam aqui alguns fatos documentados (em Inglês) neste sentido:

http://brandplucked.webs.com/thebiblenotinspired.htm

Deus é o Deus da verdade e não pode mentir

Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos” Tito 1:2

Ele espera que nós, o Seu povo, falemos a verdade uns com os outros

Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros” Efésios 4:25

E Ele diz em Provérbios 12:22:

“Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu deleite”.

Sua Palavra também nos admoesta:

“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência” 1 Timóteo 4:1-2

Quando acessamos qualquer website cristão ou página de igreja, eles afirmam aquilo em que supostamente crêem sobre a Bíblia. Geralmente são palavras de efeito, como:

“Nós cremos que a Bíblia é a inerrante e infalível Palavra de Deus”

Observem que eles usam o verbo no presente - “é” - como algo que ACONTECE agora.

Mas, quando são pressionados neste assunto, logo se conclui que eles não estão falando sobre um tipo real ou tangível de Bíblia, o qual se possa manusear, lendo e crendo em tudo que ali está escrito, como sendo verdadeiro. Ora, a verdade é que eles não crêem que isso exista.

Logo em seguida, eles chegam com a dança da linguagem dobre e do retroceder quanto ao que [antes] disseram, [agora] dizendo algo assim:

“Ó, bem, somente os originais {*} SÃO inspirados e inerrantes”.

Ora, amigo cristão, os originais já não existem e todos nós sabemos disso! Em seguida, eles surgem com uma declaração realmente coxa e absurda, como aquela bem conhecida Declaração de Chicago Sobre a Inerrância Bíblica. (Ver  http://brandplucked.webs.com/chicagostate.htm):

 “As traduções da Escritura são a Palavra de Deus, contanto que representem fielmente os originais.” Declarações como esta, aparentemente piedosas, podem ser totalmente hipócritas em vários níveis.

Primeiro, eles jamais viram uma palavra sequer, em toda a sua vida, dos 66 livros [os “originais”] reunidos em um volume da Bíblia.

Segundo, é um absurdo afirmar as “traduções são a palavra de Deus, contanto que representem fielmente os originais”, visto como eles não têm original algum com os quais comparar qualquer tradução! Então, como é possível saber se aquilo, que eles apresentam no seu “Clube da Bíblia Lançada Neste Mês”, representa ou não os originais?”    Eles dão a impressão de que possuem “os originais” ou a cópia destes, bem à sua frente, tentando ver se a sua última ver$são concorda ou não com os originais.

Eles estão mentindo. Adotar a posição de que “somente os originais {*} são inspirados e inerrantes”, sem dúvida alguma, é deixar os cristãos, AGORA, sem nenhuma Bíblia inerrante, e não há maneira deles contornarem o fato que a premissa deles tem que implicar esta consequência.

Uma declaração honesta de inerrância embasada no que eles crêem realmente, bem como a maioria dos cristãos, seria algo assim: “SE os originais tivessem sobrevivido e SE tivessem sido colocados em um só volume, consistindo de 66 livros inspirados, então estes SERIAM a Bíblia histórica, 100% inerrante e verdadeira, na qual poderíamos crer. Infelizmente, Deus não agiu assim e, portanto, precisamos [nos contentar em apenas] fazer o melhor [que pudermos] com o que temos em mãos, mesmo que ninguém tenha realmente certeza, ou fique de acordo com todos os outros, sobre o que qualquer texto ou leitura particular devesse ser. Portanto, vá com Deus e espere o melhor!”

Mesmo após ter eu mostrado isso a um cristão chamado Mateus, ele se voltou com esta declaração:

“Creio que os originais são inerrantes e que a procedência e a transmissão do que temos é a melhor que se pode esperar. Não vejo motivo algum para admitir erro, conquanto nos esforcemos para ter mais acesso, no sentido de confirmar uma Bíblia mais próxima possível dos originais.”

Claro que ele não entende! Não existem quaisquer originais! Então, como ele poderia saber se está ou não o mais próximo possível dos originais?

A propósito, este Mateus também postou que ele “gosta” da NKJV, da NASB e da ESV.

Aparentemente, ele é mais um dos desapercebidos ou “não vê motivo para admitir erro”, pelo fato de que estas três versões modernas diferem, textualmente, em, literalmente, milhares de palavras, inclusive em numerosos versos inteiros, e uma porção delas rejeita muitas leituras hebraicas e centenas delas têm significações totalmente diferentes. Mateus diz achar que Marcos 16:9-10 e 1 João 5:7, de fato, não pertencem à Bíblia e mesmo assim, ele sustenta que “não vê motivo para admitir erro”. Será que esta moderna e relapsa atitude cristã em relação à Palavra do Deus vivo se assemelha à dos que “tremem da sua palavra”?

Isaías 66:5).

Tudo que eu espero é mais honestidade das pessoas que vêm me dizer o que REALMENTE acreditam sobre a Bíblia. Junto com outros cristão, sou um crente na V.A. [a Versão Autorizada], a Bíblia King James. Não precisamos MENTIR, quando dizemos que ela É a completa, inspirada, inerrante e 100% verdadeira Palavra de Deus. É nisto que, realmente, cremos! Ninguém é obrigado a concordar conosco. Alguns podem até achar que estamos completamente errados, que somos ignorantes, iletrados, “divisores”, asseclas de Satanás, “uma seita” ou, até mesmo, coisa pior: ruckmaníacos! Mas, pelo menos, dizemos aquilo em que realmente cremos e não estamos MENTINDO a respeito.

A propósito, o dito Mateus postou uma pesquisa chamada “O exclusivismo da BKJ é uma seita?” Parece mais do que uma mania irônica achar que os cristãos que realmente acreditam que sua Bíblia é a Palavra de Deus pertencem a uma seita, enquanto os que não acreditam que Bíblia alguma, em qualquer língua, seja a inerrante Palavra de Deus, devam ser considerados ”ortodoxos”. [Isso é o que se pode chamar de “tempos trabalhosos!” (2 Timóteo 3:1)]. Se você é o tipo do cristão ”somente os originais”, acreditando que somente estes foram inspirados e inerrantes, e que “nenhuma tradução perfeita” existe, então diga exatamente isso. Seja honesto.

Mas, não fique no púlpito nem escreva em seu blog coisa do tipo: “Eu creio que a Bíblia é a inerrante Palavra de Deus”, quando você tem certeza de que ela não se encontra impressa em nenhum país ou idioma do mundo, para você [a ler] ou dar a outras pessoas. DEIXE DE SER MENTIROSO!    Se você é um cristão do tipo “somente os originais”, como sendo a hipotética e já não existente Palavra de Deus, pode “esperar sentado” pelo que Deus pode ou não pode ter escrito. (Mesmo sabendo que vocês nem mesmo concordam unanimemente). [Em vez de ficar falando tolices], seria melhor você dizer: “A Bíblia contém a verdade de que Cristo

morreu pelos nossos pecados e ressuscitou dos mortos e todos os que nEle crêem recebem o perdão dos pecados.” Eu também creio assim e quero que isto seja pregado. Mas não use palavras que soam piedosas, nem jargões religiosos como: “A Bíblia é infalível”, se, realmente, você não acredita, nem por um segundo, nesta verdade.    PARE DE MENTIR SOBRE A BÍBLIA. Escute as palavras do Senhor, conforme Isaías 66:5:

 “Ouvi a palavra do SENHOR, os que tremeis da sua palavra. Vossos irmãos, que vos odeiam e que para longe vos lançam por amor do meu nome, dizem: Seja glorificado o SENHOR, para que vejamos a vossa alegria; mas eles serão confundidos”.

Will Kinney - http://brandplucked.webs.com/articles.htm  Título original: Stop Lying About It Traduzido por Mary Schultze, em 05/07/2011.www.maryschultze.com

 

{* Nota de Hélio: Ah, como os "eruditos" brasileiros, sem reflexão nem discernimento independentes, imitam como papagaios o que vem de pior dos USA! Infelizmente, depois da enorme e maléfica influência de B.B. Warfield [1851-1921] nos seminários dos USA, a maioria das declarações/ confissões/ artigos de fé da maioria das denominações/ seminários/ igrejas brasileiras deixou de dizer que crê que a Bíblia (ou, pelo menos os textos hebraico e grego em que se baseia) É a Palavra de Deus absolutamente, perfeitamente inspirada e inerrante, e passou a dizer, apenas, de uma ou de outra maneira, que ela ERA inspirada nos manuscritos originais que saíram das mãos de Moisés (Gn) até João (Ap), espertamente não dizendo palavra sobre se ela, pela providência de Deus, foi ou não continuamente preservada de tal forma a chegar até nós e ser impressa de forma absolutamente perfeita (pelo menos nos textos hebraico e grego em que se baseia). O mais lamentável é que isto ocorre até mesmo (ou ainda mais) entre a maioria das denominações/ seminários/ igrejas (cheque você mesmo as declarações de fé de alguns seminários e igrejas batistas regulares e batistas bíblicas e batistas fundamentalistas) que alegam ser as mais fundamentalistas do mundo!