Seguidores

terça-feira, 12 de julho de 2011

As "novas igrejas"

BALAIO DE GATOS
A profecia bíblica é uma prova irrefutável de que a Escritura Sagrada é infalível e não pode ser anulada, conforme o próprio Jesus afirmou em João 10:35. Deus escreveu de antemão toda a história e entregou o governo do mundo ao Seu Filho Amado e nós, os crentes bíblicos, estamos ansiando pelo dia em que Ele virá assumir o Seu lugar de Supremo Governante da Humanidade.
A Escritura jamais falhou e jamais falhará no seu conteúdo didático e profético, por ser a eterna e infalível Palavra de um Deus, que não pode mentir. Em seus 66 livros, podemos verificar que tudo ali escrito se refere, direta ou indiretamente, à Pessoa de Jesus Cristo, o Senhor da História.
A Bíblia está repleta de admoestações contra o pecado, de promessas de salvação e de como o drama da humanidade vai ser encerrado, com o Senhor Jesus assentado no trono universal, com Satanás e seus anjos atirados ao lago de fogo, para onde irão os ateus, os falsos religiosos, que pervertem o Evangelho de Cristo e os tolos que foram enganados pelas falsas religiões. Nosso Deus e Pai é Onipotente e Soberano. Quando examinamos as Escrituras, logo entendemos que Ele fez tudo perfeito e legal, tendo chegado ao extremo de entregar o próprio Filho para ser imolado em favor da humanidade, comprovando, assim, o Seu perfeito AMOR. Quem duvida do que Deus escreveu na Bíblia, usando homens santos para nos transmitir os Seus ensinos, é um tolo e vai sofrer as consequências de sua incredulidade, ao desprezar a salvação que Ele nos oferece através de Jesus Cristo, cujo sangue nos purifica de todo pecado, quando nEle confiamos plenamente.
Em 2009, a BBC de Londres transmitiu uma série, focalizando os 80 tipos de fé que existem no mundo. O criador desta série foi o (incrédulo) pastor anglicano Peter Owen Jones, cujo objetivo era mostrar que todas as religiões são igualmente boas e conduzem ao Céu, neutralizando, assim, a exclusividade da Palavra de Deus. Mas, como Deus é Soberano, em vez de conseguir esse objetivo de esfriar a obra de missões, os cristãos fundamentalistas, mesmo representando uma parcela mínima no Reino Unido, logo reagiram, incrementando o envio de missionários aos países não cristãos.
Ao contrário dos protestantes bíblicos, a Igreja de Roma (ICAR) tem aumentado suas investidas nos países pagãos, não com o objetivo de pregar o Evangelho de Cristo, mas o evangelho da mariolatria, aumentando a difusão do paganismo romano dos Césares, com a deusa católica substituindo as deusas do paganismo.A missão principal da Maria católica, nos países sul-americanos mais atrasados, é se identificar com a "Mãe Terra", a deusa da religião natural. Do mesmo modo como transformou os deuses pagãos do passado em “santos” católicos, enchendo os seus altares com abominável idolatria, a ICAR transforma agora os ídolos indígenas em divindades católicas, visando implementar a rota macabra do Ecumenismo religioso. Entre os indígenas, Maria é exaltada como a "Mãe Terra", com os nomes indígenas pelos quais é conhecida. Nos países árabes, ela é "Nossa Senhora de Fátima", tomando o nome da filha de Maomé, e haja aparições mentirosas.
Numa tribo indígena da Bolívia, a ICAR incentiva um ritual exótico: o sacrifício de uma lhama, cujo sangue derramado serve, supostamente, para fertilizar a "Mãe Terra". Vocês podem imaginar um missionário batista praticando um ritual assim? Ora, do jeito que a Convenção Batista do Sul tem apostatado, nos últimos anos, por causa da incredulidade de muitos dos seus líderes maçons, qualquer dia vai acontecer algo parecido, nos arraiais batistas. O Anticristo está às portas e a apostasia que Paulo anunciou como precursora da vinda do “homem do pecado” já está enchendo as igrejas ditas evangélicas, principalmente as pentecostais. Ontem à noite, após uma excelente pregação no culto matinal da PIBT, fui com um amigo assistir a um culto na igreja metodista próxima de casa. Após quase uma hora de música ensurdecedora, com muito rebolado e gritaria, uma "pastora" subiu ao púlpito, para entregar a mensagem da noite. Usando o Livro de Êxodo, ela descreveu todo o ritual do tabernáculo de Moisés, exultando de triunfalismo, tendo esquecido de citar o sacrifício de Cristo, no Calvário, para remissão dos pecados de todos os que Nele crêem. Amo Israel e o povo judeu, mas sou gentia/cristã e disso não abro mão. Mas, cada dia, eu mais me convenço de que o Judaísmo tomou conta das igrejas pentecostais, deletando o evangelho do Apóstolo Paulo, em favor do evangelho da prosperidade. Cada pentecostal doutrinado nessas igrejas se transforma num falso judeu, acatando a promessa de riqueza, que Deus fez a Abraão, enquanto à Igreja só foram prometidas aflições...
Infelizmente, o que é chamado “peNtecostalismo” tem se transformado em “peStecotalismo”. A ICAR sabe muito bem o que deseja conseguir no mundo religioso. Ela está tentando reunir todas as religiões num "balaio de gatos”, para, em seguida, dominar os cristãos, com mão de ferro, a serviço do Anticristo. Jesus nos adverte, em Apocalipse 18:4: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas”.
Quem arreda uma vírgula dos ensinos bíblicos corre o perigo de cair nas garras do ecumenismo e do homem do pecado, para ser letalmente arranhado no balaio de gatos que o "papa" Ratzinger está preparando, com o aval dos pastores apóstatas. Mary Schultze, 13/07/2011 - www.maryschultze.com