Seguidores

sexta-feira, 5 de abril de 2013

ESTUDO 9 PERDOANDO AOS OUTROS

ESTUDO 9 PERDOANDO AOS OUTROS
1. Definição: Perdoar é retirar a culpa e o castigo merecidos pelo ofensor.
Quando Deus nos perdoa os pecados, é exatamente isso que Ele faz conosco pelo sacrifício de seu Filho Jesus em nosso favor: retira a culpa e o castigo que nós ofensores merecemos.
E foi o Senhor Jesus que ligou o perdão que esperamos receber de Deus ao perdão que estendemos àqueles que nos ofenderam.
"Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas." Mateus 6:14-15
2. Base bíblica;
a) Destaque na sua bíblia os seguintes versículos = quer dizer, pegue uns lápis de cor (desses chamados aquareláveis, pois são os únicos que não danificarão o delicado papel das folhas da sua Bíblia) e coloreie os versículos listados a seguir - você escolha as cores que quer usar na sua Bíblia...
b) Sublinhe também as palavras ou frases chaves.
1. Mateus 18:21-22 “Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete” = Não é possível ficar contando quantas vezes podemos perdoar.
2. Marcos 11:25 “E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas” = No momento de orar é necessário perdoar a todas as pessoas que nos ofenderam.
3. Marcos 11:26 “Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas” = Para ser perdoado por Deus é necessário perdoar aos outros.
4. Lucas 17:3-4 “Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se arrepender, perdoa-lhe. E, se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me; perdoa-lhe” = Não podemos “ficar de mal” com os irmãos que nos ofendem, devemos perdoá-los.
5. Efésios 4:32 “Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” = Devemos ser bondosos com todos e perdoar aos que nos ofendem assim como Deus, em Cristo, nos perdoou.
6. Colossenses 3:12-13 “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também” = Devemos perdoar aos que nos ofendem assim como o Senhor Jesus nos perdoou.

“Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos. E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; e, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas” Lucas 18:23-35

Rev. Gustavo Pereyra