Seguidores

domingo, 14 de agosto de 2011

O FALSO PENTECOSTE E OS OPERADORES DO ERRO

Mary Schultze : “Sinto-me edificada, quando escuto, durante os cultos matinais da PIBT, alguns hinos clássicos, em vez dos heréticos cânticos modernos, os quais são, em geral, mais fracos no vernáculo do que na teologia bíblica. A nova geração de crentes tem mergulhado no amor próprio, com o EGO predominando, inclusive nos CÂNTICOS ANTROPOCÊNTRICOS. Mas, quando o nosso EGO mergulha em Cristo e nos tornamos “escravos do amor” por Ele, estamos nos aproximando de um Pentecoste pessoal.”

PENTECOSTE NÃO SIGNIFICA MÚSICA ESTRIDENTE,
GRITARIA E REBOLADO, COM UMA PORÇÃO DE GENTE
ENROLANDO A LÍNGUA,
A FIM DE IMPRESSIONAR A IGREJA.

O Pentecoste cristão aconteceu pela primeira vez, no início da igreja, a fim de convencer os judeus de que Jesus era o Cristo (Messias) prometido, para que os judeus se convertessem e pudessem levar o Evangelho de Cristo ao mundo inteiro, cumprindo o “Ide” de Jesus. Ele deve acontecer novamente, no final da Grande Tribulação, com o mesmo objetivo de salvação para os judeus. O Pentecoste cristão nada tem a ver com os gentios (veja I Coríntios 14:21-24).
Na igreja, conhecemos algumas pessoas que se dedicam aos trabalhos da organização, tentando agradar ao pastor e aparentando espiritualidade. Mas, a maioria delas é totalmente desprovida do amor cristão. Amar não é sorrir e dar tapinha nas costas, mas mostrar a verdade bíblica aos menos eruditos do que nós, respeitando os seus pontos de vista e evitando comentários maldosos sobre a sua vida particular. A maioria das pessoas que se dedica ao trabalho da igreja entende pouco de teologia bíblica, resumindo-se às revistinhas da organização.
Em matéria de amor ao próximo, o próprio Apóstolo Paulo, aparentemente, se achava fraco e, por isso, foi direto ao assunto em sua Primeira Carta aos Coríntios. O amor cristão nos é dado pelo Espírito Santo, como um dom de Deus: “... o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. (Romanos 5:5). Fazer trabalhos na igreja não significa amar aos irmãos...A essência do Pentecoste pessoal é o derramamento do amor, com o poder do Espírito Santo em nós operando e nos conduzindo à santificação, através do estudo consciente da Palavra de Deus, pela qual mergulhamos no amor a Cristo e aos irmãos.
Jesus Cristo é o VERBO e, portanto, a própria Palavra escrita, à qual devemos nos apegar, a fim de conhecê-Lo melhor e termos o nosso coração purificado (João 15:3). Devemos nos esforçar por um viver santo, pois o nosso testemunho de vida é uma pregação aberta aos familiares, amigos e vizinhos. Não adianta pregar sem viver, pois isto é hipocrisia. Quem crê em Cristo, divulga a sua fé e anda conforme os ensinos da Bíblia.
Por isso, jamais cairá no Lago de Fogo, mesmo que precise atravessar os vales mais sombrios e as tempestades mais violentas. O amor de Cristo nos constrange a um modo de vida conforme o Seu desejo. O Lago de Fogo não é uma piscina, na qual alguém mergulhe, note que a água está por demais aquecida e dê o fora dali. Quem nega a existência do Lago de Fogo chama Cristo de mentiroso. Entre as verdades que Ele disse, muitas são rejeitadas; e a doutrina mais odiada é a do Inferno. Vejamos o que Ele diz em uma dessas afirmações, conforme Mateus 18:8: “Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno”. O Eterno “Alfa e Ômega” jamais iria mentir. Nem há como afirmar que Ele tenha usado aqui uma linguagem figurada ou incompreensível, conforme dizem alguns “teólogos” modernos.
Infelizmente, esses religiosos costumam “espiritualizar” as palavras de Cristo e dos profetas, a fim de respaldarem suas doutrinas heréticas. No Julgamento Final, após a Grande Tribulação, Jesus dirá aos não salvos “que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. (Mateus 25:41).
Na história “O Rico e Lázaro” (Lucas 16:22-25), podemos ler: “E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado”.
A Palavra de Deus não condena quem tem riqueza, mas quem não sabe usá-la em favor dos necessitados e, portanto, é desprovido de amor, como no caso desse rico avarento. Quando estudamos a Bíblia, encontramos varias referências aterrorizantes sobre o que será uma eternidade no Inferno. Ali, encontraremos os nossos entes amados (que tiverem sido condenados) em corpos corrompidos e ardentes, gritando eternamente por uma gota de alívio. Tudo no Inferno é assombroso demais para ser descrito e quem lá está sofrendo não pode voltar, para admoestar os vivos. Por isso, temos de confiar no que a Bíblia ensina sobre Jesus Cristo, porque ela é infalível e eternamente exata em tudo que expõe. Ela é o único passaporte para o Céu...
Muitos cristãos têm se corrompido na visão do Inferno por causa de alguns teólogos modernos, como Westcott e Hort, que o camuflaram em seu Texto Grego do Novo Testamento, o qual tem sido usado nas novas versões da Bíblia. O editor dessas versões, nos Estados Unidos e na Inglaterra, as quais têm sido exportadas para o mundo inteiro, é nada menos que Rupert Murdoch, uma das figuras mais comentadas, no último escândalo da mídia mundial.
O Senhor Jesus disse claramente que “pelos frutos conheceríamos a árvore e que nenhuma árvore má poderia produzir bons frutos”.
Quanto mais nos aproximarmos do fim, mais operadores do erro irão se apresentar, todos eles ligados ao falso cristianismo, travestidos de cristãos verdadeiros. É muito perigoso rejeitar uma verdade comprovada na Escritura Sagrada, substituindo-a por algo moderno. A Palavra de Deus é ETERNA e INFALÍVEL; portanto, não se torna obsoleta. Pastores que ficam exibindo (e usando nos púlpitos) as novas versões da Bíblia comportam-se como garotos tolos, que querem se mostrar importantes, diante dos colegas de escola.
O Evangelho da salvação é tão simples!
Jesus Cristo é Deus Encarnado, que veio ao mundo para salvar os pecadores, e quem não aceitar esta verdade, deixando de confiar exclusivamente em Sua obra na cruz, vai acabar no Lago de Fogo, por melhor pessoa que tenha sido neste mundo, pois Ele disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6). E agora, você vai encarar o Lago de Fogo ou vai se converter ao Evangelho de Cristo?

Joseph Chambers/Mary Schultze, 25/07/2011.
www.maryschultze.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário