Seguidores

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

A CIGARRA E A FORMIGA

A cigarra e a formiga
VERSÃO CLÁSSICA
- A formiga trabalha de sol a sol durante todo o verão sob um calor escaldante.- Constrói a sua casa e se aprovisiona de víveres para o inverno.- A cigarra pensa que a formiga é tonta e passa o verão rindo, dançando e brincando.- Quando chega o inverno, a formiga se refugia em sua casinha onde tem todo o que lhe faz falta até a primavera. - A cigarra, tremendo, sem comida e sem abrigo, morre de frio.
George De La Fontaine – fabulista francês
Moral da história: "quem não trabalha não come"
(compare com "Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto,
que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também" II Tessalonicenses 3:10)
VERSÃO MODERNA ("politicamente correta")
- A formiga trabalha de sol a sol durante todo o verão sob um calor escaldante.
- Constrói a sua casa e se aprovisiona de víveres para o inverno.- A cigarra pensa que a formiga é tonta e passa o verão rindo, dançando e brincando.
- Quando chega o inverno, a formiga se refugia em sua casinha onde tem todo o que lhe faz falta até a primavera.- A cigarra, tremendo, sem comida e sem abrigo, decide organizar uma coletiva de imprensa na qual questiona por que a formiga tem o direito a casa e comida, quando há outros, com menos sorte que ela, que passam frio e fome.
A televisão organiza um programa ao vivo no qual a cigarra aparece passando frio, em cenas realmente chocantes, e ao mesmo tempo mostra-se trechos de um vídeo feito por um vizinho da formiga (que não quis se identificar) desfrutando do calorzinho na sua casa e a sua mesa com fartura de comida.
Todo mundo se surpreende de que num país próspero como o deles deixem sofrer à pobre cigarra enquanto outros “vivem na abundância”. Os vários canais de televisão exploram ao máximo a situação, durante o dia inteiro se mostram trechos da vida da cigarra, desde os seus momentos de alegria e felicidade contagiantes (contrapostos a trechos da vida da formiga em que aparece mal-humorada pelo trabalho excessivo)...o povo já canta pelas ruas a toadinha da cigarra, o melô da cigarra, o funk da cigarra...e todo mundo chora ao ver trechos da situação atual da cigarra: magra, passando frio e fome...
As associações contra a pobreza, a Comissão de Direitos Humanos e diversas ONGs fazem manifestações diante da casa da formiga, a população precisa ser contida pela tropa de choque dos besouros, as manifestações são transmitidas ao vivo pela TV. No dia seguinte a casa da formiga aparece toda pichada.
Os jornais publicam artígos nos que questionam como a formiga se tem enriquecido mais do que a cigarra. Se instala uma CPI, a vida da formiga é vasculhada “com lupa”, o público opina mandando torpedos às centrais telefônicas (só 35 centavos o minuto! – milhões ligam mas ninguém se pergunta em que bolsos esse dinheiro todo irá parar) opinam também nos sites on line, através de uma engenhosa pergunta onde têm que escolher se são “a favor da igualdade ou da discriminação (entendendo discriminação como “a egoísta e insensível” formiga)”
Respondendo às enquetes de opinião, o congresso se pronuncia favorável a uma Lei sobre a igualdade econômica e uma Lei Anti-discriminação – aplicável somente às camadas populares da sociedade (é claro!).O Ministério da Receita Federal devassa a declaração de impostos da formiga, e lhe aplica uma altíssima multa porque no se fez cargo da cigarra durante o inverno.
A formiga decepcionada, faz as suas malas e se muda a outro país, onde sabe que poderá desfrutar livremente dos frutos do seu trabalho... onde não será julgada nem castigada por ter seus esforços bem sucedidos.
A antiga casa da formiga se transforma num albergue social para cigarras.
O tempo passa e as cigarras, irresponsavelmente se reproduzem e esperam que o serviço social chegue com os donativos de alimentos e os recursos para “sobreviver dignamente”.
O governo começa a ser criticado por não disponibilizar os meios necessários “para os mais necessitados”. Os partidos propõem uma “comissão de investigação pluripartidária”, que custará “só” para início: 10 milhões de dólares!!!
Entretanto a cigarra morre devido a uma overdose, no quarto que, tempo atrás, havia pertencido à formiga. O local, outrora limpo e arejado, está irreconhecível pelo lixo acumulado (caixas de comida e latas de cerveja).
Os meios de comunicação comentam o fracasso do governo para corrigir as desigualdades sociais e a injustiça econômica..
A casa termina ocupada por um bando de aranhas imigrantes.
QUALQUIER SEMELHANÇA COM ALGUMA REALIDADE EM NOSSO PAÍS, É DESDE JÁ. . . a pura e crua verdade...
COMENTARIOS:Haverá quem se identifique com a formiga e outros com a cigarra... Mas o certo é que enquanto se apóie e divulgue um sistema que dê abrigo a cigarras folgadas, e se sustente com dinheiro público aos espertalhões líderes de “movimento dos sem....” (preencha como desejar), espertalhões esses que se dedicam a atravancar o desenvolvimento natural dos que obtêm o sucesso com seu próprio esforço...continuaremos sendo o país “do futuro” (das cigarras – não das formigas!!!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário